Blog

Como cachorros pegam raiva? Aprenda a identificar os sinais e saiba o que fazer caso isso aconteça

Como cachorros pegam raiva? Aprenda a identificar os sinais e saiba o que fazer caso isso aconteça

A raiva é uma doença viral extremamente perigosa que afeta o sistema nervoso central de mamíferos, incluindo os cachorros. Transmitida principalmente através da mordida de um animal infectado, a raiva é quase sempre fatal uma vez que os sintomas aparecem. Portanto, é crucial que os donos de cachorros estejam bem informados sobre como a raiva é transmitida, como identificar os sinais de infecção e o que fazer caso suspeitem que seu cachorro tenha sido exposto ao vírus.

Como Cachorros Pegam Raiva?

Transmissão

Primeiramente, é importante saber que a principal via de transmissão da raiva é através da saliva de um animal infectado, geralmente por meio de uma mordida. Entretanto, a raiva também pode ser transmitida se a saliva infectada entrar em contato com feridas abertas ou mucosas, como os olhos, nariz ou boca. Os principais portadores do vírus da raiva são animais selvagens, como morcegos, guaxinins, raposas e gambás, mas cães e gatos não vacinados também podem transmitir a doença.

Fatores de Risco

Cachorros que passam muito tempo ao ar livre, especialmente em áreas onde a raiva é endêmica, estão em maior risco. Além disso, cachorros que têm contato com animais selvagens ou não vacinados correm um risco maior de serem expostos ao vírus.

Identificando os Sinais de Raiva

Os sintomas da raiva em cachorros podem variar, mas geralmente progridem em três fases:

Fase Prodrômica

Nos primeiros dias após a infecção, o cachorro pode apresentar sintomas inespecíficos, como:

  • Febre;
  • Mudanças no comportamento, como ansiedade ou agressividade;
  • Perda de apetite;
  • Vômito.

Fase Excitável

À medida que a doença progride, o cachorro pode começar a exibir sinais mais graves, incluindo:

  • Agressividade extrema;
  • Mordidas em objetos, outros animais e pessoas;
  • Hipersensibilidade a estímulos, como luz e som;
  • Dificuldade em engolir e excesso de salivação (hidrofobia).

Fase Paralítica

Na fase final, a doença causa paralisia, que começa nas patas traseiras e progride para o resto do corpo. Os sintomas incluem:

  • Fraqueza muscular;
  • Queda da mandíbula;
  • Falta de coordenação;
  • Eventualmente, paralisia completa e morte.

O Que Fazer Caso Suspeite de Raiva

Isolamento

Se você suspeita que seu cachorro possa estar infectado com raiva, é crucial isolá-lo imediatamente para evitar que ele possa morder outros animais ou pessoas. Use luvas para manusear o cachorro e evite contato com a saliva dele.

Contato com Veterinário

Ligue para o seu veterinário imediatamente para informar sobre a situação. Descreva os sintomas que você observou e siga as instruções do veterinário sobre o que fazer a seguir. Em muitos casos, o veterinário pode recomendar trazer o cachorro para observação e testes diagnósticos.

Vacinação

A vacinação é a melhor maneira de prevenir a raiva. Certifique-se de que seu cachorro está atualizado com todas as vacinas recomendadas, especialmente a vacina antirrábica. Além disso, mantenha registros das vacinas e esteja ciente das datas de revacinação.

Reportar às Autoridades

Em muitas regiões, a suspeita de raiva em um animal deve ser reportada às autoridades de saúde pública ou controle de zoonoses. Eles poderão fornecer orientação adicional e, se necessário, iniciar medidas de controle para prevenir a propagação do vírus.

Cuidados Pós-Exposição para Humanos

Se uma pessoa foi mordida ou arranhada por um cachorro suspeito de estar com raiva, é vital lavar a ferida imediatamente com água e sabão e procurar atendimento médico urgente. O tratamento pós-exposição para raiva é altamente eficaz se administrado antes que os sintomas apareçam.

Preste atenção!

Finalmente, a raiva é uma doença mortal que representa uma ameaça séria tanto para os animais quanto para os humanos. A prevenção através da vacinação é fundamental para proteger seu cachorro e a comunidade. Conhecer os sinais da raiva e agir rapidamente ao suspeitar de uma infecção pode salvar vidas. Sempre consulte um veterinário para obter orientação e mantenha-se informado sobre as melhores práticas para proteger seu cachorro dessa doença perigosa

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Olá, seja bem vindo ao atendimento da +Pet. Vamos direcionar você para o nosso especialista em Plonos de Saúde. Digite seus dados para continuarmos.

1